Minha vida com Pablo Escobar - Jhon Jairo Velásquez

Oi vocês,

Minha vida com Pablo Escobar é o relato brutal e verdadeiro de Jhon Jairo Velázquez, o Popeye, o braço direito do maior narcotraficante que a América Latina (e talvez o mundo) tenha visto.

* Resenha por: Kamila Villarreal


Título Original: Jhon Jairo Velázquez – Mi vida como sicario de Pablo Escobar
Autor: Jhon Jairo Velásquez
Páginas: 352
Sinopse: Jhon Jairo Velásquez, também conhecido como Popeye, foi líder dos sicários de um dos maiores e mais enigmáticos narcotraficantes da história: Pablo Escobar. Depois de 23 anos preso, Popeye foi libertado e neste livro conta sua trajetória na vida criminosa, bem como pormenores de suas maiores ações e do sistema que compõe o intrincado ramo do tráfico.
Ele iniciou sua carreira criminosa aos 14 anos, servindo como apoio para bandos de matadores e, surpreendentemente, entrou para a Polícia Nacional da Colômbia e para a Escola de Grumetes da Marinha Colombiana. Contudo, abandonou as duas instituições e foi recrutado para o famoso Cartel de Medellín de Pablo Escobar, sendo este o seu ponto de partida para ascender a uma vida violenta e impiedosa. 
Nesta autobiografia, Popeye detalha inúmeras ações criminosas, dentre as quais há sequestro e assassinato de políticos, inclusive o de um candidato à presidência da República da Colômbia; a detonação de uma bomba dentro de um avião em pleno voo; duas rebeliões dentro da prisão – na qual recrutou um contingente de mais de oitocentos homens e um arsenal imensurável de armas –; além de ter confessado ser o responsável – direta ou indiretamente – por mais de 3 mil mortes. 
Agora em liberdade, e depois de ter encarado múltiplas tentativas de assassinato, tortura, rebelião e extradições, Popeye alcança uma mudança espiritual e psicológica e inicia uma nova vida com a liberdade que enfim obteve.



O livro começa com Popeye se apresentando e contando brevemente sobre sua vida antes de conhecer o Patrón. Vindo de um bairro pobre de Medellín, no departamento* de Antioquia, Jhon não teve muitas oportunidades, logo, caiu no crime e, de infração em infração, chegou no submundo do narcotráfico.
*A Colômbia possui 32 departamentos, que são equivalentes aos estados brasileiros. O que me surpreende, pois, o território colombiano não é tão grande como o brasileiro.



Popeye ascendeu sob o comando de Pablo, chegando no posto mais alto: lugar-tenente, que significa ser um homem de confiança do narcotraficante. O narrado conta com frieza como ajudou o Patrón nos mais diversos tipos de crimes, desde homicídios, como o do então ministro Rodrigo Lara Bonilla, até explosões, como a que derrubou o avião da Avianca em pleno voo.
A maioria das informações sobre Pablo descritas por Popeye eu já sabia, tendo em vista que li as duas outras biografias a respeito de Pablo, escritas por seu filho e publicadas no Brasil pela Planeta, e também porque assisti a série colombiana “Pablo Escobar – El Patrón del Mal”, disponível na Netflix – recomendo fortemente, principalmente pelas imagens reais da época, que enriquecem a trama. Então, o livro realmente ficou bom (não que antes não estivesse, mas é que, como disse, já sabia de muita coisa, então serviu mais para relembrar) quando Popeye se entrega a justiça e vai parar na cadeia.

"Explicação dada a pergunta não formulada é confissão antecipada."

Na cadeia, começa o calvário de Popeye, que vai passar de presídio em presídio, tentando sobreviver a cada dia, por 23 anos. Eu não consigo imaginar um ser humano trancafiado por tanto tempo numa cadeia. Não vou entrar no mérito do merecimento, mas 23 anos é uma vida. Eu tenho 23 anos. O que eu tenho de vida, esse homem tem de cadeia. Não estou dizendo que ele não mereceu ficar preso – claro que mereceu – mas o que pude perceber no decorrer da leitura é que ele foi uma espécie de bode expiatório – ele pagou por todo o cartel de Medellín.
Esse livro me lembrou o extinto jornal Notícias Populares, que circulou entre os anos de 1963 e 2001 e se popularizou por conter matérias de violência, crimes, etc. Era reconhecido porque, segundo o povo dizia “se torcer sai sangue”. E o relato de Popeye é como esse jornal: você vai virando a página e alguém vai morrendo. É carnificina pra Datena nenhum botar defeito!



Outra coisa que, por incrível que pareça, foi como um tiro pela culatra: Pablo Escobar sempre lutou pelo fim da extradição de narcotraficantes para os EUA, para serem julgados naquele país. A primeira coisa que me chamou a atenção foi: se o tráfico nascia na Colômbia, porque raios os narcos teriam que ser julgados nos EUA? Claro que a droga chegava lá, mas ela também chegava na Europa, na Ásia, no Brasil... Escobar conseguiu, através de uma Assembleia Constituinte, que fossem proibidas as extradições. Mas, mais incrível ainda, os caras que mataram Pablo (os chefões do cartel de Cali, rival do de Medellín) fizeram com que essa lei fosse revogada. Em suma: o que Pablo conseguiu foi em vão, porque a galera que matou ele foi extraditada anos depois.

"A guerra já começara a ser travada entre nós mesmos. O fim da organização de Pablo Escobar era real e palpável."

E essa parte da extradição me chama a atenção desde que comecei a saber sobre o Patrón: será que a Colômbia não tinha capacidade para julgar seus criminosos, mesmo que as Instituições de justiça estivessem contaminadas pela corrupção (e pelo paramilitarismo)? E porque diabos os Estados Unidos não sossegam o facho, com essa maldita mania de querer se meter nos assuntos (e na soberania) dos países alheios? Não à toa, tem tanto país em guerra...
O interessante também foi ver como Popeye amadureceu, se acalmou, firmou sua união com Deus e, assim, foi sobrevivendo às prisões, torturas, tentativas de assassinato e etc. Em nenhum momento ele se afastou de Deus, porém, Popeye credita as mudanças em sua vida a Deus no céu e aos profissionais, que, no presídio, o fizeram trabalhar, estudar, e melhorar como ser humano. Ele só esqueceu de dizer se voltou a falar com seu filho, de quem se separou quando ele foi transferido de presídio e acabou se afastando de toda sua família.



Por mais que tudo sobre Pablo Escobar tenha sido falado, escrito, virado filme, documentário e novela, a vida do narcotraficante mais famoso da Colômbia sempre será tema de conversas, estudos, investigações... enfim, um homem que teve uma vida incrível, que poucos tiveram. Só precisamos tomar cuidado para não endeusá-lo, como muita gente vem fazendo, achando que é legal ser traficante, porque ganha dinheiro, fama e poder. Não se esqueçam que foi a sede de poder que derrubou Pablo Escobar.
Jhon Jairo Velázquez, depois de viver tudo isso, saiu da cadeia recentemente, em liberdade condicional, e hoje vive em Medellín, de onde jura que não sai nem vivo nem morto.
Ani, novamente, obrigada por dar o livro. Foi uma grata leitura, principalmente pelas novidades trazidas por Popeye acerca do maior narcotraficante que a América Latina (e talvez o mundo) tenham visto. 

"Os corruptos cuidam-se entre si. Condecoram-se. São felizes."


Beijinhos,

13 comentários

  1. Embora eu goste desse tipo de livro, esse não chamou a minha atenção e não me senti interessada para ler. Eu gostei da sua resenha e de ver como você falou do livro mas, dessa vez, eu passo a dica.

    ResponderExcluir
  2. Gente, que livro! Não que eu esteja endeusando, mas eu acho incrível poder saber mais da vida de pessoas assim. Que para o bem ou para o mal, são impactantes.
    Adorei a sua resenha e fiquei bem animada para ler.
    Não conhecia o livro e sua resenha me apresentou essa obra que parece ser bem interessante.
    Vou ler! :D
    beijinhos!

    #Ana Souza
    https://literakaos.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  3. Olá gostei bastante da premissa do livro nunca li nada do gênero mais confesso que tenho curiosidade de conhecer mais sobre a história, beijos!

    ResponderExcluir
  4. Oii, tudo bem?
    Já ouvi muita coisa sobre o Pablo Escobar, mas realmente é verdade o que você disse sobre o endeusar. A maioria dos comentários que ouvi eram endeusando ele e sempre fico muito surpresa com a quantidade de gente que faz isso.
    Achei bem bacana o livro, mas não sei se leria agora. Mesmo assim, vou anotar a dica.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Oii!Que resenha incrível! Eu já tinha curiosidade de conhecer a história não apenas do Pablo Escobar, como também a vida no narcotráfico, e após ler a sua resenha fiquei mais curiosa ainda. A história do Jhon parece ser muito interessante ainda mais por expor todo o realismo da sua vida para os leitores. Dica anotada com certeza, bjss!

    ResponderExcluir
  6. Olá!

    Além do livro, recomendo também a série que citei na resenha, muito boa, além das imagens reais incluídas. Obrigada pelo livro, novamente!

    ResponderExcluir
  7. Olá.
    "...se o tráfico nascia na Colômbia, porque raios os narcos teriam que ser julgados nos EUA?" pergunta que não quer calar, porque se metem em tudo???
    Gosto de leituras diferenciadas e não ficção, é claro que fiquei querendo me aprofundar mais nos assuntos abordados nesse livro.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. E no fim, pq as extradições aconteciam? Não faz muito sentido, mas...
    Nao gosto muito de livros nesse estilo, mas esse parece ser bem interessante e desde que a série narcos começou me interessei pelo tema apesar de não ter lido nenhum livro ainda, vou anotar a dica...
    bjos

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bem?
    Não tenho costume de ler biografias e confesso que não conhecia esse livro, mas realmente a vida de Pablo Escobar já rendeu muitos livros e série. Realmente tem mt gente endeusando por aí é esquecendo que o que ele fez é muito errado.
    Bjs!
    Fadas Literárias

    ResponderExcluir
  10. Heiii, tudo bem?
    Nossa, fiquei mto curiosa com sua resenha e como descreveu sobre o livro.
    Imagina ficar preso 23 anos, realmente é algo que a gente nao consegue entender, como vc disse é uma vida e me pareceu mesmo que ele pagou o pato por todo mundo.
    Estou aprendendo a ler livro assim, sair mais do mundo da ficção, e acho que vai ser uma boa pedida esse livro.
    Vou tentar ler.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  11. Oie! Tudo bem?

    Nunca havia ido atrás da história desse narcotraficante, mas depois da sua resenha, acredito que irei atrás de algumas biografias, até mesmo filmes para conhecer mais sobre ele, e sobre esse livro, com certeza já anotei a dica, espero conseguir ler em breve!

    BJss

    ResponderExcluir
  12. Gente, que leitura pesada. Não curto muito esse tipo de leitura, mas reconheço que é muito importante que, quem gosta, leia. Arrepios...... Parabéns pela resenha

    ResponderExcluir
  13. Olá, tudo bem? Nossa muita gente gosta de revirar, saber mais sobre a vida do Pablo Escobar. E saber mais sobre o mesmo do ponto de vista de seu braço direito deve ser fascinante mesmo. Não vi as séries, muito menos li os livros igual a você, mas deu pra sentir seu profundo conhecimento sobre o assunto e adorei. Irei pesquisar mais sobre mesmo, apesar de não gostar de biografias, para ver se me interesso mais ainda. Ótima resenha!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Oi você, que bom que chegou até aqui, não esqueça de deixar um comentário.

- Criticas, duvidas, sugestões são sempre bem vindas!

Obrigada pela visita e volte sempre ;*

Contato: contato@entrechocolatesemusicas.com